Casal de surfistas divide o amor e as ondas

Além do Dia dos Namorados, no mês de junho também é comemorado o Dia Internacional do Surf, no dia 20. Por isso, para celebrar essas datas especiais, entrevistamos o casal de surfistas Elis Murara e Victor Pawlak Junior, de Guaratuba. Juntos há 16 anos, eles dividem suas vidas e as ondas do mar. Para os surfistas, não há nada melhor do que fazer uma coisa que você ama com a pessoa que você ama.

O casal Elis Murara e Victor Pawlak Junior, e a filha Analyce Murara Pawlak, de Guaratuba. Ao lado Elis e Victor deslizando sobre as ondas.

Tudo começou em Curitiba-PR, onde Elis e Victor nasceram. Lá, se conheceram através de um casal de amigos, mas, diferente dos contos de fadas, a história não foi de amor à primeira vista. “Assim que fomos apresentados, não me interessei muito. Saímos várias vezes com um casal de amigos, mas nunca acontecia nada”, recorda Elis. Até que em certo dia, eles foram atravessar a rua e Victor segurou em sua mão para evitar que ela fosse atropelada. Daí em diante, não soltou mais.
O casal, que sempre admirou o surfe, iniciou no esporte por volta de 12 anos atrás, depois que passou a residir na cidade litorânea de Guaratuba. Eles contam que já surfaram com pranchinhas e já praticaram Stand Up Paddle, mas que o longboard – modalidade praticada com pranchões, permitindo um surfe mais clássico – foi “amor à primeira queda”.
Em sua vivência no esporte, Elis chegou a participar de diversos campeonatos de surfe, no entanto, ela recorda que as competições lhe deixavam tensa e nervosa, fazendo com que não se soltasse. Hoje, ela e o marido são adeptos ao “free surf”, uma vertente do esporte onde o praticante surfa única e exclusivamente para se divertir, sem se preocupar com a performance.
Para eles, quando você gosta de surfar e tem alguém que gosta tanto quanto você, é um sonho se tornando realidade. “Nós imediatamente nos ligamos através das ondas, viagens, eventos, pranchas e nossos profissionais favoritos”, contam. Além dos assuntos em comum, surfar em casal significa dar dicas e conselhos para o parceiro, melhorando seu desempenho na água. Segundo Victor, isso também gera compreensão, uma vez que esta companhia compreende sua ligação com o esporte e vai desejar que você surfe mais, pois sabe que isso lhe deixa feliz.
Elis e Victor são mais do que um casal de surfistas. Junto com a filha Analyce Murara Pawlak, de 14 anos, formam uma família apaixonada pelo esporte. Por influência dos pais, Analyce foi estimulada na prancha de surfe desde os três anos, participando de diversos campeonatos desde os sete, competindo com mulheres mais velhas e até mesmo com homens. “Nós já caímos juntas na mesma bateria em alguns campeonatos”, conta Elis.
A pequena Analyce também já foi vice-campeã paranaense de longboard na categoria “estreantes”. Os pais explicam que esta categoria dificilmente é incluída nos campeonatos e que, quando acontece, é inclusa como categoria aberta, onde homens e mulheres disputam a mesma bateria. Isso levou Analyce a pausar os treinos e se dedicar ao free surf, acompanhando seus pais nas ondas de Guaratuba.
Victor é caminhoneiro e sua profissão exige uma rotina de viagens, fazendo com ele passe alguns dias longe da família. “Então, quando estamos juntos, curtimos nossa família ao máximo, com guloseimas, filmes, conversas e, é claro, muito surfe”, diz Elis. Baseados na experiência positiva, eles aconselham que os casais aprendam a surfar juntos, que os namorados ensinem suas namoradas a surfar e vice-versa. “Acreditamos que o casal que se diverte unido, permanece unido”, afirma Elis. Mas isso não se limita ao surfe, já que os apaixonados podem se divertir em qualquer outra atividade comum, seja ela esportiva, artística, entre outras. “O surfe é um esporte completo, que trabalha a força, a resistência e aumenta a capacidade de movimentação do corpo, além de estar ao alcance de todos, pois a natureza é gratuita”, ressaltam Elis e Victor. Deslizar sobre as ondas com o grande amor de sua vida significa, para eles, adotar um estilo de vida muito mais saudável e aventureiro. Longe da água salgada, um novo universo se abre, envolvendo outros hábitos como alimentação, espiritualidade, cultura e exercícios.
De acordo com o casal, em um relacionamento é preciso ter mais que amor, mas também paciência, tolerância, cumplicidade, amizade, liberdade e respeito. No entanto, Victor e Elis acreditam que não há uma única receita a ser seguida, pois todos os casais têm suas particularidades. Para comemorar o Dia dos Namorados, por exemplo, uns preferem jantares românticos em restaurantes, enquanto outros esperam por um dia de praia com boas ondas surfadas junto com a pessoa amada.

Ana Beatriz Machado

Matéria publicada na Revista Giropop Ed 41 Junho

Anúncios