Saúde e Bem Estar

Viver bem, viver zen

Augusta Gern

Para se sentir bem não é preciso muita coisa. Alguns movimentos com as mãos e os dedos, terapia com agulhas, plantas medicinais e, principalmente, energia. Essas são práticas, chamadas de medicina alternativa ou terapias alternativas, cada vez mais procuradas para auxiliar na cura de doenças ou na prevenção delas.Para se sentir bem não é preciso muita coisa. Alguns movimentos com as mãos e os dedos, terapia com agulhas, plantas medicinais e, principalmente, energia. Essas são práticas, chamadas de medicina alternativa ou terapias alternativas, cada vez mais procuradas para auxiliar na cura de doenças ou na prevenção delas.De forma natural e em sintonia com o meio ambiente, é uma ótima forma de se conquistar bem-estar, relaxamento e saúde. A melhor notícia é que não é preciso ir longe, tudo está acessível em Itapoá com o terapeuta oriental Anderson B. Silva.

Há 14 anos trabalhando com isso, os atendimentos em Itapoá iniciaram em 2006, mas há poucos meses está novamente fixo na cidade, com o espaço Viver Zen. O gosto pelo cuidado com a saúde de forma holística, trabalhando o ser humano de forma completa, iniciou através da busca da própria satisfação, tranquilidade e bem-estar.Antes publicitário Anderson trabalhava com design gráfico e escrevia para rádio e televisão. Na época, ainda morador da capital paranaense, se viu cansado do universo publicitário e da busca constante de ideias para agradar os clientes e fechar campanhas. Aquilo tudo começou a estressá-lo e para distrair um dia passou em uma livraria na hora do almoço. “A primeira coisa que me chamou a atenção foi um mural que informava sobre um curso de reiki”, lembra. Fez o primeiro curso, gostou, fez o segundo e o terceiro.

Reiki é um tratamento que utiliza uma técnica de imposição das mãos e trabalha com problemas como a ansiedade, stress, depressão, insônia, entre outros. É uma técnica preventiva, que busca harmonizar o ser humano e suas dificuldades.Assim, depois dos cursos de reiki, foi indicado para Léo, um grande terapeuta que o ensinou muita coisa. Em uma boa clínica, Anderson trabalhou com Léo por um bom tempo. Depois, buscou se aprofundar mais no trabalho e cursou medicina tradicional chinesa.“Me encontrei”, afirma em relação às terapias. Conforme Anderson, quando alguma coisa satura, você precisa encontrar outras coisas. As terapias hoje são mais que profissão, mas um estilo de ver e viver a vida.Conforme o terapeuta, aqui essas terapias são chamadas de alternativas, mas no oriente são as principais. Na realidade, historicamente elas são as principais em todos os lugares, afinal a medicina oriental tem mais de 6 mil anos, enquanto a ocidental, 600.

Anderson explica que a maior diferença entre as duas medicinas é a fragmentação ocidental. “A especialização na área de saúde é importante para muitos casos, mas é preciso ver o ser humano como um todo”, afirma. Na medicina oriental há esta visão holística.Assim, analisando e cuidando do corpo como um todo, Anderson trabalha com diferentes terapias: reiki, shiatsu, quiropraxia, acupuntura, stiper, entre outras.

A shiatsu é uma das técnicas de massagem que utiliza a pressão com os dedos. O objetivo é tratar ou prevenir doenças pela estimulação dos meridianos ou canais de energia. Pode ser aplicado em pessoas de qualquer idade, fortalecendo o sistema imunológico e aliviando o stress.A quiropraxia também é uma técnica de massagem, utilizada principalmente para ajustamentos musculares, geralmente na coluna, como desvios e hérnias de disco. O objetivo, além de reduzir a dor e tensão, é proporcionar um equilíbrio da postura através das intervenções manuais.

A acupuntura é a terapia com agulhas, que visa estimular determinados pontos do corpo para obter recuperação da saúde, alívio de dores e problemas emocionais. Conforme Anderson, só nas orelhas temos 200 pontos e, no corpo inteiro, são mais de mil. As combinações de pontos são realizadas de acordo com a necessidade de cada paciente. Gabriela Paulo, por exemplo, buscou a técnica para tratar a ansiedade. Há dois meses começou a fazer acupuntura uma vez por semana e, segundo ela, a melhora foi de 100%. “É maravilhoso, não vivo mais sem. Se depender de mim vou fazer para sempre”, afirma a paciente. Além da ansiedade, na última semana o terapeuta adicionou mais um ponto para a memória, para auxiliar na produção do trabalho de conclusão de curso.Para as pessoas que tem medo de agulha, uma boa terapia é a stiper, que substitui as tradicionais agulhas de acupuntura com pastilhas de silício.

Além disso, para casos específicos, como de inflamação, Anderson também trabalha com mochaterapia, uma erva inflamatória com as mesmas características do infravermelho, só que mais eficiente. Ventosaterapia (com o uso de ventosas) e fitoterapia (com plantas medicinais) são outras terapias também trabalhadas. Assim, com esta boa diversidade, opções não faltam para cuidar de problemas específicos ou simplesmente relaxar o corpo e a alma. A partir de uma visão holística, Anderson alerta que a energia do corpo influencia muito no bem-estar e combate às doenças, é preciso estar bem consigo mesmo para poder viver bem.

Anderson atende no Viver Zen – Espaço Terapêutico e Estético
Localizado na Rua da Graça, 638 – Balneário Itapema do Norte.
As consultas podem ser agendadas através dos telefones: (47) 3443-1248 / 9740-3214 / 9740-3213.

Matéria publicada na Revista Giropop – Edição 15 – Março/2013