Cabaraquara: roteiro ideal para conhecer e degustar ostras

Guaratuba reserva mais do que belas praias como destino turístico. Do outro lado da baía, por exemplo, depois de se atravessar o ferry boat, a comunidade Cabaraquara se apresenta como um roteiro ideal para conhecer e degustar ostras. Por uma única estrada, restaurantes de diferentes estilos se especializaram no prato que é cultivado ali, em frente ao quintal.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 São mais de cinco restaurantes especializados, alguns de cultivo próprio e outros que comercializam de cultivos vizinhos, mas todas as ostras são dali, da própria baía de Guaratuba. O estuário natural tem as condições ambientais apropriadas para o cultivo das iguarias e já chegou a ser destacada a nível mundial. Diferentes publicações e os próprios cultivadores contam que especialistas do Japão avaliaram ostras produzidas em várias regiões do planeta, inclusive de Guaratuba, e afirmaram que a ostra nativa da região tem um dos melhores sabores do mundo. O resultado é uma resposta a todo cuidado e conservação da comunidade local com os recursos naturais, aliado à boa qualidade da água para o cultivo.

03122014-DSC_0260
Marcelo Ferraz Monteiro, proprietário
do restaurante Vivere Parvo

Este slideshow necessita de JavaScript.

28012010-HAMILTONKIRCHNER-1-VS
Hamilton de Moura Kirchner, proprietário
do restaurante Ostra Viva.

 O cultivo de ostras fortaleceu e ganhou mais visibilidade na região a partir do projeto Cultimar, que movimentou os cultivadores. O projeto foi criado em 2005 pelo Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais da Universidade Federal do Paraná e, conforme informações publicadas pelo próprio projeto, o objetivo foi desenvolver novas fontes de renda para comunidades da região que não descaracterizasse o ambiente natural e as atividades tradicionais. Antes, uma das principais atividades era o extrativismo que, além de não ser saudável, não é nem um pouco rentável.

 Conforme informações do projeto, os produtores de ostras da região possuem três maneiras para abastecer o cultivo: a extração de formas juvenis do ambiente natural (que deve respeitar o tamanho mínimo de cinco centímetros), a coleta de sementes de ostras por meio de coletores artificiais e a obtenção de sementes de ostras produzidas em laboratórios. Com as sementes em mãos, os cultivadores as colocam nas lanternas-berçários apropriadas para o crescimento, em estruturas chamadas de “long line”. O tempo necessário para o cultivo de ostras, conforme os próprios cultivadores, é de 12 a 18 meses, quando atingem um tamanho comercial e estão prontas para o consumo.

09092014-DSC_0010

Assim, com uma região famosa pela qualidade e sabor das ostras, cada restaurante disponibiliza diferentes serviços e características. A principal semelhança entre todos é o cuidado e contato com a natureza: de forma sustentável e preservando as riquezas naturais, a natureza faz parte da decoração, atrativos e, claro, do belo cenário.

Além da boa gastronomia, Cabaraquara também é um paraíso natural, cercado por manguezais e pela Mata Atlântica. Ali é possível fazer passeios de stand up e caiaque pela baía, ou mesmo trilhas pela mata nativa. Há duas trilhas principais: uma que vai até a comunidade rural Salto Parati e a do Morro Cabaraquara, uma subida de duas horas e com uma vista fantástica do cume: além de toda a cidade é possível ver o Oceano Atlântico, ilhas de Santa Catarina e a Serra do Mar.

Anúncios