Férias escolares de julho: Dos papéis às dobraduras

Concluindo a nossa série de entrevistas com a criançada, está Jhoe Cubas Pereira, de oito anos de idade, estudante do 2º ano D da Escola Municipal Ayrton Senna. Desde criança, ele tem sua criatividade estimulada dentro de casa, por seus pais Simone Cristine Cubas e André Luiz Pereira, e, hoje, é apaixonado por esportes e atividades manuais.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

28062017-jhoe
Uma das principais diversões de Jhoe Cubas Pereira é criar diversos origamis (dobraduras de papel).

28062017-3
Jhoe gosta de desenhar, utilizando diferentes tipos de canetas, tintas e molduras, e criar esculturas com argila. Mais que fazer manobras de skate – esporte que aprendeu a dominar apenas observando os mais velhos, ele gosta de montar seu próprio skate, assim como o fez com a pipa e com o hand spinner (peça que, quando impulsionada, começa a girar constantemente na ponta dos dedos), brinquedos que Jhoe aprendeu a fazer para, depois, é claro, brincar. Ele conta que as suas ideias e inspirações vêm do ato de observar seus pais trabalhando ou sua irmã mais nova brincando, de assistir aos programas de televisão e acessar aos sites voltados ao “faça você mesmo”.
Recentemente, a mais nova paixão de Jhoe tem sido os origamis – a arte de dobraduras de papel, uma técnica japonesa que existe há mais de um século. “Eu estava assistindo ao filme ‘Kubo e as Cordas Mágicas’ e o personagem principal criava origamis que ganham vida a partir das fábulas que inventa. Gostei muito dos origamis do filme e, com a ajuda da minha família, pesquisei na internet como eles eram feitos e, assim, consegui criar meus próprios origamis”, conta Jhoe. Vale destacar que a técnica de origami contribui para o aumento da capacidade da concentração, desenvolvimento da coordenação motora, paciência, memória e imaginação das crianças que o praticam.

17022017-2-2
Além dos origamis, Jhoe também adora pintar.
Na foto, uma das telas para a decoração do
Carnaval de Itapoá de 2017, pintada por ele.

“Criar um brinquedo com as próprias mãos é muito mais legal do que comprar um brinquedo já pronto, pois, assim, a criança pode se divertir enquanto cria”, fala o pequeno Jhoe, que nos conta que, quando for maior, deseja continuar andando de skate, desenhando, sendo bom em fazer origamis e em soltar pipa.

Anúncios