Férias escolares de julho: É praticando que se aprende

Para que sejam proveitosas, as férias escolares de julho da criançada não precisam envolver, necessariamente, uma grande viagem, uma extensa programação e muitos gastos. Pelo contrário: é nas atividades simples que pode estar o maior barato. Afinal de contas, tempo de férias é tempo de criar, produzir, inventar, explorar, imaginar e, é claro, brincar muito.
E, para convidar outras crianças a deixarem sua imaginação fluir, conversamos com quatro especialistas no assunto: as próprias crianças! Com muita criatividade e força de vontade, nosso time de pequenos de Itapoá-SC prova que toda criança tem algum talento e que boas ideias merecem ser compartilhadas.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

13062017-4
De Itapoá, Allef Vinicius de Melo pinta belas paisagens em lajotas.

Filho de Elaine de Mello e Marcos de Mello, Allef Vinicius de MeLlo, de 14 anos de idade, é um menino com capacidade autodidata e multitarefas. “Todas as coisas que ele deseja aprender, ele para, observa e aprende”, conta sua mãe, “acredito que ele tenha um dom para isso, mas muito vai da sua força de vontade, pois ele tenta inúmeras vezes até conseguir”. Foi observando e praticando que Allef aprendeu a surfar, andar de skate, de slackline, cantar, jogar futebol, tocar violão e guitarra, fazer malabarismos e realizar belíssimas pinturas em lajotas – e é sobre esta última atividade, em especial, que iremos falar.
Sempre interessado em trabalhos manuais, há três anos, Allef teve a ideia de começar a realizar pinturas com tinta guache em lajotas. Ele conta que pintava mais por diversão, sem técnica alguma. Até que, no último verão de 2016/17, conheceu um artista que ficava pelas ruas de Itapoá realizando pinturas e lajotas e as vendendo para moradores e turistas. Como Allef ajuda muito sua família – especialmente no Trenzinho da Alegria de seus pais, onde o menino se fantasia de Pato Donald –, pediu aos pais que pagassem um pequeno curso para o artista, para que este lhe ensinasse algumas técnicas de pintura em lajotas. E, assim, o artista ensinou ao menino qual o tipo de lajota e o tipo de tinta que devem ser utilizadas, como ele poderia realizar os acabamentos, entre outras técnicas.
Desde então, Allef vem pesquisando outras dicas na internet e realizando belíssimas pinturas de paisagens em lajotas, que levam apenas de dois a cinco minutinhos para ficarem prontas. “Os materiais utilizados são: uma lajota lisa, tinta a óleo, querosene, solvente, um pano, um pouco de água e palitinhos. O desenho é feito na lajota utilizando a mão e os dedos, já os acabamentos podem ser feitos com as unhas, o pano e os palitos. São materiais que custam pouco, mas, quando tenho apenas uma lajota, eu pinto, apago tudo e pinto novamente na mesma lajota, para treinar”, explica Allef, que estuda no 9º ano da Escola Municipal Monteiro Lobato. Mais que tranquilidade e coordenação motora, esta atividade artística também permite ao praticante as noções de tons de cores, luz e sombra, perspectiva e reflexo.

13062017-2
De Itapoá, Allef Vinicius de Melo pinta belas paisagens em lajotas.
13062017-1
Entre outros esportes que pratica, o jovem se destaca no slackline, tendo ganhado dois campeonatos no esporte.

Hoje, Allef coleciona algumas medalhas do Festival da Canção de Itapoá e de campeonatos de slackline e de skate, canta e toca guitarra na CEU (Comunidade Evangélica Unida), estuda e ainda arruma tempo para praticar suas pinturas, que já serviram de presente para toda a família. Acompanhando o ritmo de Allef está seu irmão mais novo, Allex Vinicius de Mello, de seis anos de idade. Mas exige muita força de vontade: “Gosto de estar sempre pesquisando e observando as pessoas para aprender novas coisas.
No começo, pode parecer difícil, mas se você tentar outras vezes, vai conseguir e vai fazer cada vez melhor”, diz Allef, que gosta muito da frase bíblica “tudo posso naquele que me fortalece” e que, entre tantas realizações e aprendizados, sonha em, um dia, ser professor de Educação Física ou policial.

Anúncios