Saúde e Bem Estar

Nutricionista: mercado de trabalho, desafios e tendências da profissão

Muitas pessoas costumam procurar um nutricionista somente para começar uma dieta e emagrecer, mas a função deste profissional vai muito além: ele ainda pode auxiliar no tratamento de doenças, melhorar a concentração e proporcionar mais qualidade de vida – tudo isso, com base no estudo de alimentos e do efeito que eles produzem em nosso organismo.
Há dez anos, Marcela Lautert Caron escolheu ser nutricionista, pois acreditava no poder da alimentação para prevenir e tratar doenças, além de melhorar a sensação de bem-estar das pessoas e, hoje, atua em Curitiba-PR e Itapoá-SC – na Itapoá Clínicas Integradas (ICI). Em entrevista à Revista Giropop, a doutora fala sobre a importância do nutricionista e da boa alimentação, os desafios desta profissão, e as constantes novidades e tendências desta área.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

De acordo com doutora Marcela, o nutricionista é um profissional da área da saúde, que estuda os alimentos e o efeito que eles produzem em nosso organismo. Este profissional pode atuar em diversas áreas, como em restaurantes – para o controle de qualidade e elaboração de cardápio, em hospitais, escolas, clínicas, academias e, até mesmo, no acompanhamento de atletas profissionais, passando por pesquisas, marketing nutricional, consultoria nutricional, entre outros. Para ela, a ideia de que o nutricionista está relacionado apenas a questões estéticas é uma questão cultural e imposta pela mídia, porém, existe uma relação direta entre a nutrição, a saúde e o bem-estar físico, pois uma boa alimentação tem papel fundamental na prevenção e tratamento de diversas doenças, como, por exemplo, depressão, ansiedade e déficit de atenção.
Muitos são os motivos que levam alguém a consultar um nutricionista. Para Marcela, o momento ideal para procurar este profissional é antes que a doença ou o sobrepeso se instale, pois, assim, os resultados são alcançados de forma mais rápida e costumam permanecer. “Já para emagrecer, a pessoa precisa descobrir um propósito, um motivo muito forte, que vá além da parte estética, para que ela se sinta motivada durante a mudança de hábitos alimentares e as dificuldades que encontrar no período de tratamento”, explica a doutora.
No mundo atual, onde as pessoas têm acesso à informação instantânea na internet, a profissional ressalta os perigos de dietas milagrosas e sem o acompanhamento profissional: “Dietas devem ser planejadas levando em consideração o peso, a altura, a idade, os hábitos de vida, se há ou não o uso de medicamentos, entre outras características do indivíduo. Qualquer cardápio que desconsidere estes aspectos pode trazer graves consequências à saúde. Sabe-se, por exemplo, que uma restrição de calorias muito baixa pode desregular hormônios da saciedade, ou seja, futuramente, tal pessoa poderá engordar ainda mais do que o peso que havia perdido”.
Outro problema presente na atualidade é a química adicionada aos alimentos e, por isso, a nutricionista aconselha que, quanto mais você cozinhar e ter tempo hábil para isso, mais chances terá de consumir alimentos mais frescos e saudáveis. “Se puder ter uma horta em casa, melhor ainda. Caso não tenha tempo, é sempre importante priorizar verduras, frutas e alimentos com o mínimo de processamento possível”, diz.
Sendo a nutrição uma área muito ampla, que oferece diversos tratamentos, especializações e segmentos, Marcela cita alguns de seus favoritos: a fitoterapia e a nutrição funcional. “A fitoterapia utiliza plantas para tratar as mais diversas doenças e é uma ótima opção para auxiliar no tratamento das mais diversas condições. Já a nutrição funcional é uma especialização da nutrição e, quando comparada à nutrição tradicional, tem uma abordagem um pouco diferente, pois trabalha com a individualidade bioquímica e os efeitos dos alimentos no organismo de cada um, sendo mais abrangente do que apenas estabelecer planejamentos alimentares baseados em contagem de calorias. Esta maneira de conduzir a nutrição tem demonstrado resultados ainda mais positivos na saúde, por produzir melhoras no organismo como um todo”, conta a profissional.
Em constante evolução, a nutrição segue diversas tendências e novidades, ditadas, principalmente, por artistas e blogueiras. Segundo Marcela, as tendências atuais são a dieta “Low Carb, High Fat”, que propõe reduzir o consumo de carboidratos e aumentar o consumo de gorduras, e o jejum intermitente, que visa intercalar períodos de jejum com períodos de alimentação. Mas, vale frisar: antes de começar qualquer dieta, é preciso procurar orientação de um profissional.
De acordo com Marcela, a escolha pela profissão de nutricionista também implica em algumas dificuldades, como, por exemplo, salários não atrativos e a prescrição de cardápios por profissionais não habilitados, no entanto, ela acredita que este profissional vem sendo cada vez mais valorizado, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido: “A maior dificuldade é com relação ao trabalho em conjunto com outros profissionais. Por exemplo, se os médicos encaminhassem pacientes para ajustar a alimentação em conjunto com a medicação ou para prescrição de cardápio, ou, ainda, se outros profissionais entendessem a importância da nutrição na prevenção e tratamento de outras doenças, já seria um grande avanço”, diz.
Para o futuro, a nutricionista Marcela deseja que a profissão seja ainda mais valorizada e que as pessoas compreendam a importância da boa alimentação para a qualidade de vida. Aos futuros nutricionistas, ela diz que, apesar de todas as dificuldades, é maravilhoso poder proporcionar saúde e bem-estar às pessoas. E, por fim, conclui: “Se o nosso organismo está em desordem, se estamos com uma alimentação desbalanceada, se nosso corpo não está sendo nutrido da maneira correta, perdemos o bem-estar. Um organismo bem nutrido promove maior felicidade ao indivíduo, bem como torna as passagens da vida – infância, adolescência, vida adulta e terceira idade – mais saudáveis e produtivas”.

Categorias:Saúde e Bem Estar

Marcado como:,