Casal alimenta, castra e resgata cachorros de rua em Itapoá

Apaixonado por cães “desde que se conhece por gente”, o casal Simone Abud e Paulo Sergio Fcachenco já alimentou, castrou e resgatou inúmeros cachorros
de rua na Argentina, nos Estados Unidos da América e no Brasil, mais
precisamente no município de Itapoá-SC – tudo isso, voluntariamente, pelo simples fato de amar os animais.
Em entrevista à Revista Giropop, eles
falam sobre a necessidade de uma política pública voltada ao cuidado dos animais, a importância da adoção em relação à compra dos mesmos, e o papel de cada munícipe na causa contra o abandono dos bichinhos – um problema cada vez mais recorrente em Itapoá.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

25072017-16 APAIXONADOS POR ANIMAIS

25072017-18 APAIXONADOS POR ANIMAIS
Casal Paulo Sergio Fcachenco e Simone Abud

Em entrevista à Revista Giropop, eles falam sobre a necessidade de uma política pública voltada ao cuidado dos animais, a importância da adoção em relação à compra dos mesmos, e o papel de cada munícipe na causa contra o abandono dos bichinhos – um problema cada vez mais recorrente em Itapoá.
Durante muitos anos, Paulo e Simone moraram na Argentina, onde afirmam que a situação dos cachorros de rua é ainda mais crítica. “Vivíamos em um haras de cavalos de polo, com mais de quarenta acres. Resgatamos dezenas de cachorros que viveram lá, até que saímos, definitivamente, da Argentina. Então, conseguimos adoção e transportamos vários deles para os EUA, enquanto alguns foram adotados no Brasil por amigos e o restante deles veio para Itapoá”, conta Paulo, que divide seu tempo entre o município litorâneo do norte catarinense, onde trabalha e se envolve em causas voluntárias em prol dos animais, e Miami, nos EUA – onde Simone se estabeleceu há mais de vinte anos e, com o esposo, já resgatou centenas de cães e gatos.

21072017-17 APAIXONADOS POR ANIMAIS

Tanto em Miami quanto em Itapoá, Simone e Paulo têm muitos cachorros de estimação, todos adotados. São eles: Gracie, Amélia, Jake, Maggie, Lylah, Skye, Storm, Helena, George, Alex, Lola, James, Eros, Abu, Sin, Boba, Chica, Morocha, Ratito, Georgia, Picky, Leo, Bianca, Charlie e Ty. Sobre a compra de cães e gatos de raça, o casal se posiciona absolutamente contra. “Com a quantidade de animais dóceis nas ruas, que só querem amar, ser amados e ter um lugar quentinho para dormir, deixá-los sofrendo e morrendo nas ruas e comprar um, só porque é dessa ou daquela raça, é inadmissível. Acreditamos que animais não são bolsas ou sapatos de marca, para serem comprados, exibidos, usados e jogados fora. São seres com sentimentos, dores, medos e amor, como todos nós”, afirmam.
Todo o seu envolvimento com a adoção e a castração começou, simplesmente, por amor aos animais. “No Brasil, consideramos a questão de abandono e maus-tratos aos animais um absoluto desrespeito à vida, pois o poder público nada faz por eles e as pessoas parecem não se importar e, em Itapoá não é diferente: a maioria da população parece não enxergar estes animais indefesos e, os que enxergam, acreditam não ser problema deles”, fala Paulo, “felizmente, em Itapoá, tivemos o prazer de conhecer algumas poucas pessoas que compartilham do mesmo amor e respeito que temos por eles”.
Juntos, Simone e Paulo castram, alimentam diariamente e buscam lares onde os cachorros de rua sejam amados e cuidados, além disso, cuidam dos cães que estão doentes ou machucados. Para isso, contam com a ajuda de alguns poucos comércios de Itapoá, como a Panificadora e Confeitaria Maykon e o petshop Animal House, que contribuem com ração e castração, além de outros comerciantes que ajudam com o simples ato de colocar um pote com água e ração na porta de seus estabelecimentos, como os comerciantes do Maldaner Vidros e Alumínio, da A4 Papelaria, entre outros. Para eles, esta pequena atitude deveria se tornar comum no município, como encontraram em várias outras cidades tanto no Brasil como nos EUA.
Somente em Itapoá, o casal alimenta diversos cachorros que necessitam de ajuda diariamente: são, em média, trinta quilos de ração por semana. Além disso, eles também fornecem ração para algumas pessoas que adotaram os cãezinhos, mas não têm condições financeiras de alimentá-los. Atualmente, Simone e Paulo castram ou colaboram com a castração de oito a dez animais por mês, em parceria com a Dra. Angela Gomes, da Veterinária Itapoá.
Além das parcerias com os comerciantes e profissionais já mencionados, Paulo e Simone solucionam boa parte deste problema com recursos próprios. “Apesar das parcerias já estabelecidas, gostaríamos que todo comércio em Itapoá doasse, no mínimo, uma castração por mês. E, acima de tudo, que a prefeitura não somente apoiasse, mas também participasse ativamente para solucionar este problema, que é de interesse público”, dizem.
Para combater este problema no município de Itapoá, eles acreditam que é necessário educar a população sobre a importância da castração e vacinação, através de campanhas “que podem ser parcialmente financiadas com a criação de um imposto de 1% cobrado somente na alta temporada”, sugerem. Na opinião dos apaixonados por animais Paulo e Simone, o primeiro passo para solucionar o problema de abandono e maus-tratos a essas criaturas inocentes e sem voz é levar conhecimento e informação à população itapoaense, especialmente às pessoas de baixa renda.
Para os itapoaenses que desejam adotar um cãozinho de rua, basta entrar em contato com o casal através do WhatsApp +1 305 970 6514, do e-mail paulo.fcachenco@gmail.com, ou de seus perfis “Paulo Sérgio Fcachenco” e “Simone Abud” no Facebook.
Vale frisar que, em breve, Paulo e Simone também lançarão a campanha “SOS Castração”, oferecendo castrações para cães e gatos por apenas R$ 150,00.

 

Anúncios