Câncer de mama: é melhor prevenir do que remediar

Quanto antes houver a descoberta do câncer de mama, maiores serão as chances de sucesso do tratamento. Portanto, a fim de inspirar mulheres a realizarem mamografia e exames de rotina, contamos a inspiradora história de Sandra Regina Medeiros da Silva, vencedora da batalha contra o câncer de mama e profissional da área da saúde, de Itapoá-SC.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

outubrorosa1

Formada em Enfermagem pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Sandra viveu boa parte de sua vida na cidade de Joinville-SC, onde se casou, teve duas filhas e deu os primeiros passos na profissão. Durante seis anos trabalhou no Hospital Municipal São José, já em 1990, começou o trabalho na Maternidade Darcy Vargas, onde atuou por 25 anos, entre os setores de obstetrícia, administrativo e ambulatório. Na maternidade, Sandra criou e coordenou diversos projetos e campanhas de melhoria de qualidade.
Para a enfermeira, trabalhar na área da saúde é poder enxergar a vida com outros olhos.

DSC_0069
A história de Sandra Regina Medeiros da Silva com o câncer de mama ressalta a importância da prevenção. Na foto com parte da sua equipe da Secretaria de Saúde do município.

“A essência de nosso trabalho é cuidar das pessoas para manter e reestabelecer sua saúde. Para seguir esta profissão é imprescindível gostar de lidar com pessoas e ter preparo emocional para confortar pacientes em situações de bastante fragilidade. Trabalhar na área da saúde, com certeza, fez com que me tornasse uma pessoa melhor, mudou meu olhar para as pessoas melhor e me incentivou ainda mais a cuidar de minha saúde”, fala.

Sempre realizando exames de controle, em dezembro de 2009, Sandra teve uma surpresa. Notando algo estranho, o médico solicitou exames de ultrassom, mamografia e biópsia (remoção de fragmento de tecido ou outro material de um organismo vivo para fins diagnósticos).

DSC_0060

Os exames, então, detectaram células malignas em todo o quadrante da mama direita. E, aos 50 anos de idade, Sandra, que já havia amamentado suas duas filhas e não possuía histórico de câncer na família, estava diante do diagnóstico positivo de câncer de mama.
“Nestes momentos, não importa se você é forte, tem autoestima, trabalha na área da saúde ou não. Você é um ser humano como outro qualquer”, comenta Sandra, “felizmente, recebi muito apoio de minhas filhas e de meu marido, que sempre pensou positivo e me incentivou a seguir em frente”.

O processo de Sandra foi bastante rápido: da descoberta do câncer até a cirurgia de mastectomia (excisão ou remoção total da mama) levou pouco mais de um mês. E, em um único dia, ela realizou a retirada da mama e o implante da prótese. Vale ressaltar que o principal fator que fez com que Sandra descobrisse o câncer de mama logo no início, não precisasse fazer sessões de quimioterapia ou radioterapia, e tratasse a enfermidade depressa foi seu antigo hábito de fazer exames religiosamente.

DSC_0143
Desde o diagnóstico até a recuperação da cirurgia, Sandra enfrentou momentos difíceis. “Mesmo depois que obtive a cura, vivi por aproximadamente cinco anos muito assustada, temendo correr o risco de recidiva (reaparecimento) do câncer”, conta. Para prevenir-se, após a cirurgia, além de sessões de fisioterapia, Sandra realizou exames de controle de três em três meses e, depois, de seis em seis meses. Ainda, tomou medicação via oral durante cinco anos.

DSC_0239

Atualmente, aos 59 anos de idade, quase nove anos após a descoberta do câncer de mama, Sandra realiza exames de controle anualmente, uma vez que médicos constatam que, dez anos após o câncer, a chance de uma metástase (formação de uma nova lesão tumoral a partir de outra) é reduzida. Ela, que hoje reside em Itapoá e contribui para a saúde do município, continua realizando exames de rotina e levando as lições da experiência. “Passar por um câncer nos ensina muitas lições.
Hoje, muitas coisas perderam o significado para mim, enquanto outras ganharam”, diz Sandra, que venceu o câncer de mama graças à prevenção.

 

Anúncios