Todos os posts de revistagiropop

Revista mensal, com conteúdo próprio, entregue em expositor próprio nas cidades de Itapoá -SC e Guaratuba - PR.

Descubra como conseguir sua casa própria e economizar!

publieditorialsouza

Publieditorial

Todos precisam de uma casa, um lugar para voltar, para descansar, para ficar com a família ou até isolado no seu canto, e não dá para negar que é muito bom ter um canto seu, sua fortaleza pessoal, onde você pode fazer o que bem quiser.

Infelizmente, um imóvel tem um custo elevado e nem todos conseguem concretizar este sonho. Quando conseguem, as opções prontas podem não agradar pela qualidade, estilo ou localização, isso sem contar que, devido ao alto valor e por envolver muita documentação, você só deve assinar contrato com uma empresa realmente confiável.
Sim, imóveis são caros, isso é fato. Então, como fazer para economizar? Aí vai a dica: construa. Sim, isso mesmo, construa! Pense no seguinte, as casas novas prontas foram construídas para serem vendidas, logo, parte do valor da casa será o lucro de quem financiou a obra, então, se você tomar a iniciativa de construir, estará automaticamente eliminando essa porcentagem. Para você ter uma ideia, a porcentagem de lucro em cima de uma casa pronta gira em torno de 30%, ou seja, uma casa de R$ 220 mil daria R$ 66 mil de lucro ao seu investidor, porém, se você comprar um terreno e construir esta mesma casa, teria um custo de apenas R$ 154 mil.

Ok, agora já está um pouco melhor, mas quem é que tem esse dinheiro todo para construir uma casa?

Nesse caso, você tem duas opções: financiamento ou consórcio. É verdade que financiamento tem juros maiores que consórcio, por outro lado, consórcio pode demorar até 15 anos para você ser contemplado e, nesse tempo, você provavelmente vai morar de aluguel, com o valor das parcelas de um consórcio e do aluguel você poderia pagar o financiamento e teria a casa bem mais rápido, essa é uma decisão sua, pense com calma.

FINANCIAMENTO
Sobre financiamento, preciso te dizer que estamos vivendo um momento único do financiamento imobiliário no Brasil, na Caixa Econômica Federal (que geralmente tem as menores taxas do mercado), desde o final de 2019 e até agora, os juros para os financiamentos imobiliários estão muito baixos, mesmo em meio à crise, na verdade é a taxa mais baixa que a Caixa já ofereceu na história! É um ótimo momento para construir. Por exemplo, há financiamentos com parcelas entre R$ 600 e R$ 1.000 para compra de terreno e construção.
Interessante, certo? Bom, claro que a Caixa tem alguns requisitos e vamos expor algumas regrinhas aqui. Para conseguir um financiamento imobiliário pela Caixa, você precisa:
– Estar com o nome limpo (os dois, se for casal);
– Ter uma renda de pelo menos dois mil reais que possa comprovar, seja com holerites ou extrato bancário (no caso de autônomos);
– Não ter mais que 30% da renda em empréstimos, consórcios e outros compromissos financeiros.
Seguindo estas três regrinhas, você já está com meio caminho andado!

BENEFÍCIOS
Voltando ao assunto “Construção”, outro benefício de construir sua casa é que ela será exatamente do jeito que você quer, com a sua personalidade estampada nela, um projeto único! E mais, seguindo a ideia do financiamento, se você ainda não tem um terreno, é possível comprar o terreno dentro do mesmo financiamento da construção da sua casa! Você poderá escolher onde irá construir e, convenhamos, poder escolher sua visão diária que irá durar pelo menos um bom tempo – se não por toda a vida, é algo muito importante, certo?
Agora que você já sabe como economizar e como conseguir dinheiro para realizar este sonho, você precisa encontrar uma empresa confiável para te ajudar com toda a documentação e com a construção. Nossa dica é: procure uma empresa que já tenha um bom histórico, com várias obras construídas e clientes satisfeitos, pergunte se ela oferece alguma garantia de seus serviços, se os materiais são de qualidade e se eles cobrem tudo no caso de algum acidente durante a obra. Ao comparar preços, leve em consideração se estão inclusos todos os projetos e se ela entregará a casa pronta, com elétrica, hidráulica, pintura, vidros, etc. Ufa! São várias coisinhas para verificar, mas agora você já está bem mais preparado para alcançar seu sonho!
Bom, agora que já te passei algumas boas dicas de como economizar dinheiro e dores de cabeça, peço sua licença para apresentar a nossa empresa: Souza Engenharia e Construção. Nós cuidamos de toda a documentação e entregamos sua casa pronta com 5 anos de garantia contra quaisquer vícios de obra! Se quiser uma simulação para saber o quanto ficará para construir sua casa, entre em contato conosco!

publieditorialsouza2

Fixo e WhatsApp: 3443-2267
E-mail: andre@engenhariasouza.com.br
Facebook: Souza Engenharia e Construção

Porto Itapoá viabiliza a confecção de 10 mil máscaras faciais para distribuição no município

WhatsApp Image 2020-04-20 at 15.52.32

Ação é realizada em parceria com costureiras e costureiros do munícipio, Secretaria de Turismo e Cultura, Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social, Mãos do Bem e ADEA.

WhatsApp Image 2020-04-20 at 16.57.43 (1)

Nessa semana foram iniciadas a distribuição de máscaras faciais para a população de Itapoá. Ao todo serão produzidas 10 mil unidades, que foram confeccionadas por um grupo de aproximadamente 50 pessoas, entre costureiras e costureiros do município.

A compra da matéria prima e pagamento da mão de obra das artesãs foram viabilizadas pelo Porto Itapoá. As máscaras começaram a ser produzidas no dia 16 de abril e, cerca de 3 mil unidades já começaram a ser entregues à população na última terça-feira, dia 21.

Outras doações específicas para profissionais de saúde

WhatsApp Image 2020-04-20 at 15.52.31

O Porto Itapoá também tem contribuído com a doação de máscaras faciais profissionais (N95) e máscaras face shield (equipamento reutilizável) aos profissionais da Unidade de Pronto Atendimento 24h do Município. Ao todo já foram doadas mil máscaras descartáveis, 430 máscaras face shield, 600 aventais de enfermagem, gorros de proteção e óculos de segurança. Esses materiais estão sendo doados desde o fim de março, quando as medidas frente ao COVID-19 foram intensificadas no Município.

Restaurante O Infante: O ‘Rei do Bacalhau’ está de cara nova

Com 13 anos de atuação, o restaurante O Infante é referência em experiência gastronômica e culinária portuguesa no município de Itapoá (SC).
Recentemente, o empreendimento mudou de endereço e passou a ser administrado pelos sócios Paulo Roberto da Silva Mateus e Jucélia Cândido, que garantem: “O Infante está de cara nova, mas com a qualidade e o sabor que você já conhece”.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

tikay1
Os sócios-proprietários Paulo Roberto da Silva Mateus e Jucélia Cândido, e o garçom que é ‘a cara’ do restaurante O Infante, Ricardo Bussinger.

De Curitiba (PR), Paulo frequenta o município de Itapoá desde 1976, quando tinha apenas 7 anos de idade. Ele, que já realizou um curso de garçom pelo SENAC, trabalhou no Hotel Bourbon de Curitiba e morou em Milão, na Itália, encontrou a oportunidade perfeita para morar em Itapoá em 2010, quando comprou o Restaurante Tikay.
Com 23 anos de atuação em Itapoá, o Tikay é referência quando o assunto é a gastronomia do cotidiano com buffet variado. À frente do restaurante Tikay há 10 anos, Paulo desejou alcançar voos ainda maiores e, recentemente, comprou o restaurante O Infante, em sociedade com a chef de cozinha Jucélia Cândido.
A amizade entre Paulo e Jucélia é antiga, ela foi sua funcionária durante cinco anos no Tikay: “Há cinco anos, voltei para Londrina (PR) por motivos familiares, mas nunca perdi o contato com Paulo, pois nossa parceria profissional foi muito boa”, comenta Jucélia, que é chef de cozinha autodidata há 20 anos e já trabalhou em diversos restaurantes – inclusive, no restaurante O Infante com os antigos donos –, além de eventos e buffets. Portanto, quando surgiu a oportunidade de encarar um novo empreendimento, Paulo não pensou duas vezes em propor sociedade a Jucélia: “é uma excelente profissional, honesta, dedicada e muito talentosa”.

tikay2
Com uma equipe treinada e qualificada, O Infante oferece gastronomia lusitana da melhor qualidade. “Mais que um alimento, oferecemos uma experiência cultural e gastronômica”, diz a equipe.

Sob nova direção
O restaurante O Infante foi fundado em Itapoá há 13 anos, pelo casal de portugueses José Tomás e Maria Cândida. Conhecido por oferecer gastronomia lusitana da melhor qualidade, conquistou um público fiel, que busca por uma experiência gastronômica e cultural.
Para Paulo e Jucélia, assumir a empresa depois de 13 anos de história é uma grande responsabilidade: “Agradecemos aos antigos proprietários, o Sr. Tomás e a Sra. Cândida, que deram nome ao Infante e fizeram uma admirável administração em Itapoá. Temos a pretensão de dar continuidade a este trabalho, mantendo a qualidade e o sabor que todos conhecem”.
Sob nova direção, O Infante está, também, em um novo endereço: na Avenida Brasil, 2533, no Balneário Itapoá, em frente ao Corpo de Bombeiros Militar de Itapoá. Mas o principal ponto de referência para o local continua sendo a estátua gigante de um cavalo em pé, que já é atrativo turístico na cidade e dá boas-vindas aos clientes que chegam ao restaurante.
Em um novo ambiente, O Infante conta agora com decoração, amplo estacionamento, diferentes ambientes com vista para o mar e estrutura à beira-mar – que pode ser alugada para casamentos, confraternizações, entre outros.

infante1

infante2
Todos os clientes são bem-vindos no novo endereço do restaurante O Infante.
Agora, com espaço amplo e à beira-mar, mas com a tradição e o sabor que Itapoá já conhece.

O Rei do Bacalhau
O Infante tem em seu menu salmão, pescado, camarão à grega, casquinha de siri e outras delícias em rodízio ou sequência de frutos do mar. Contudo, o forte do restaurante que leva como slogan “O Rei do Bacalhau” é, como o próprio slogan já diz, o bacalhau. A chef de cozinha Jucélia, que aprendeu a culinária lusitana diretamente com os portugueses fundadores do restaurante, explica: “Em nosso menu, oferecemos oito diferentes tipos de bacalhau, para agradar todos os públicos e paladares, e todos acompanham arroz, salada e bolinhos de bacalhau por cortesia da casa. Os pratos são ‘abrasileirados’, ou seja, seguem a receita portuguesa, mas são adaptados ao paladar do brasileiro”.
Compondo o quadro da equipe, está o garçom Ricardo Bussinger – patrimônio do Infante, uma vez que já trabalhava no restaurante com os antigos proprietários. “Tê-lo em nossa equipe é uma honra, pois agregou com todos os seus anos de experiência. Os clientes antigos do Infante veem o rosto de Ricardo, o reconhecem e confiam na qualidade do atendimento e do sabor”, fala Jucélia. Baseado em seu conhecimento, Ricardo dá a dica para aqueles que nunca provaram do Rei do Bacalhau: “Aos clientes que vão saborear um bacalhau pela primeira vez, costumo sugerir o bacalhau assado com batatas ao murro, que leva este nome, pois, assim que a polpa das batatas cederem sob pressão, é preciso dar um murro para esborrachá-las. Outro prato bastante elogiado em nosso menu é o bacalhau a José da Silva, com bacalhau, ovo, camarão, azeitonas e cebolas”.
Para oferecer um atendimento de qualidade, o garçom Ricardo já degustou boa parte dos pratos e vinhos dispostos no cardápio. Somente assim, sana as dúvidas dos clientes com precisão e fala com propriedade sobre cada item.

infante3

Amor e sabor
Além do delicioso bacalhau, O Infante conta com rodízio e sequência de frutos do mar, carnes assadas, porções e hambúrguer artesanal. Agora, durante a baixa temporada, o restaurante está aberto no almoço, de terça a domingo, das 11h30 às 14h, e no período da noite, de quarta-feira a sábado, das 19h às 22h30.
Ao final, Paulo garante:

“Seja você cliente do restaurante Tikay, do antigo restaurante O Infante ou sua primeira vez em nosso espaço, pode confiar, que iremos fazer de tudo e mais um pouco para melhor atendê-lo”.

Para Jucélia, Paulo, Ricardo e toda a equipe, todos são bem-vindos no novo endereço do restaurante O Infante – agora, com espaço amplo, à beira-mar e algumas melhorias, mas com a tradição, o sabor e o amor que todos já conhecem.

No período de pandemia, família se adapta a novos hábitos em casa e no trabalho

Em tempos de isolamento, muitas famílias vêm se adaptando a novos costumes em seus lares. No município de Itapoá-SC, a pandemia do Covid-19 mudou por completo a rotina do casal Ana Paula Galvão Scatamburlo Machado, técnica em enfermagem, e Cláudio Luís Machado, colaborador do Porto Itapoá, e sua família.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

paula

Esta poderia ser mais uma história de famílias que buscam alternativas, novos hábitos e procedimentos de higienização diante do coronavírus, não fosse pela profissão de Ana Paula e Cláudio. Ela, técnica em enfermagem, atua no Pronto Atendimento 24 Horas de Itapoá e, ainda, realiza plantões no Hospital Municipal de Guaratuba-PR. Já ele, também formado em técnico em enfermagem – mas não mais atuante, atua no setor de inspeção do Porto Itapoá.

Vale lembrar que médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e todos os demais envolvidos com a área da saúde estão na linha de frente do combate ao novo coronavírus e são mais expostos à doença. “Em plena crise, o acesso da população ao SUS (Sistema Único de Saúde) é um instrumento de defesa para nós, brasileiros. Confesso que tenho, sim, receio diante dessa pandemia que vem assolando o mundo todo. Mas me sinto muito privilegiada em poder contribuir com meu trabalho, no sentido de prevenção e orientação”, fala Ana Paula, técnica em enfermagem há 25 anos.

Seguindo a recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde) do isolamento social para combater o coronavírus, a maioria dos comércios locais (exceto serviços essenciais) fechou suas portas. O Porto Itapoá, o maior porto do estado de Santa Catarina e o terceiro maior do Brasil, segue suas atividades, empenhado em garantir o abastecimento da cidade e toda a região. “Muitos munícipes estão preocupados com a atual situação e isso é totalmente compreensível. Enquanto colaborador do Porto Itapoá, posso afirmar que a empresa vem fazendo seu papel, adotando protocolos rigorosos de higienização, cartilhas de prevenção, distribuindo materiais de prevenção e orientando todos os colaboradores a realizar assepsia”, comenta Cláudio. Neste momento, o Porto Itapoá, com o engajamento e a dedicação de todos os colaboradores, cria alternativas saudáveis e eficazes para realizar seu trabalho de maneira mais segura possível.

Família em casa
No conforto do lar, o casal Ana Paula e Cláudio adota as medidas de higienização e segurança para combater o novo coronavírus. De acordo com a necessidade, a família se adapta. “Notamos que não havia um lugar para lavarmos as mãos na entrada de nossa casa, assim que chegássemos do trabalho. Então, tratamos de improvisar uma pia com um cavalete ao pé da escada. Agora, para entrar em casa, a parada para lavar as mãos e passar álcool em gel é obrigatória”, menciona a técnica.

Seguindo o exemplo de seus pais, os filhos Guilherme e Gabriel Scatamburlo também adotam medidas de precaução neste momento tão delicado. Guilherme, o filho mais velho, trabalha no cartório de registros de imóveis de Itapoá e conta: “Com o isolamento, o cartório disponibilizou um número de telefone para atendimento via WhatsApp. Continuamos trabalhando presencialmente no escritório, mas os cuidados de higienização estão ainda mais intensos e passamos a atender pessoalmente apenas os serviços essenciais. É muito interessante observar como nós, profissionais e clientes, estamos descobrindo novos meios de nos relacionarmos”.

Formada em Direito, Priscila Pitz, esposa de Guilherme, vem usando o tempo hábil no período de quarentena para ‘devorar’ livros e dedicar-se aos estudos para a prova da OAB. “Por conta do coronavírus, a data da prova foi adiada. Então, encarei isso como uma oportunidade de me preparar ainda mais. Leio questões, assisto a vídeos-aulas e faço simulados. Inclusive, em um dos simulados, Guilherme fez a função do fiscal, contabilizando o tempo para que a prova se tornasse mais real”, conta. Para focar nos estudos dentro de casa, a dica de Priscila é que sejam estipulados horários para o estudo, afim de que se torne algo rotineiro e prazeroso.

Gabriel, o filho mais novo de Ana Paula e Cláudio, estuda Engenharia de Software no Centro Universitário Católica de Joinville e atua no setor de PPEI (Processos, Projetos, Estratégia e Inovação) do Porto Itapoá. “Considerando que o setor em que trabalho é avançado no sentido de tecnologia e interação, neste período, estou tendo o privilégio de dar sequência ao meu trabalho dentro de casa, oferecendo suporte e boas práticas de home office aos demais colaboradores”, conta. Conforme Gabriel, algumas dicas podem ser adotadas para tornar o home office mais produtivo, tais como: cumprir o horário de trabalho mesmo dentro de casa – inclusive o horário de intervalo; escolher um local silencioso para trabalhar, sempre que possível; trocar de roupa como se fosse, de fato, sair para trabalhar; evitar interferências, como televisão e redes sociais; e comunicar sua agenda de trabalho a seus familiares – no caso de quem não mora sozinho.

A namorada de Gabriel, Thayane Minervi, também trabalha no Porto Itapoá, como jovem aprendiz. Ela estuda Recursos Humanos na Faculdade Anhanguera e, assim como o namorado, está tendo aulas online através de vídeos-chamadas. “É uma alternativa que tem seu lado positivo, pois perdíamos cerca de 4h todos os dias indo e voltando de Joinville-SC e, agora, este tempo de deslocamento pode ser aproveitado de outras maneiras”, fala.

Quarentena não é férias

 “Saímos do comércio, mas o comércio não saiu de nós”, afirmam Ana Paula e Cláudio, que por muitos anos tocaram o restaurante Dona Elza, em Itapoá. Eles, que conhecem a fundo a realidade do comércio local, têm empatia com todos os trabalhadores do município. “Hoje, falamos sobre a atual situação de uma nova perspectiva, pois eu estou na saúde e o Cláudio no Porto. Mas se este cenário fosse há três anos, quando o restaurante estava de portas abertas e em sua melhor fase, teríamos outras preocupações. Nos solidarizamos com todos os empreendedores, autônomos e funcionários de Itapoá, e achamos de suma importância essa mobilização que vem acontecendo na cidade, unindo a população para ajudar o comércio local e as pessoas em maior vulnerabilidade”, diz Ana Paula.

Enquanto moradores, outra situação preocupa o casal: a quantidade de turistas que veio passar o período de isolamento no município litorâneo. “Por se tratar de uma cidade pequena, tranquila e mais isolada geograficamente, uma quantidade absurda de turistas e veranistas está deixando suas cidades para passar a quarentena em Itapoá, pensando que aqui a probabilidade de contágio é muito menor, mas a verdade é que é totalmente o contrário. Apesar do excelente trabalho dos nossos profissionais da saúde, é fato que o nosso município tem muito menos estrutura para tratar um paciente diagnosticado com Covid-19 que uma cidade grande, como Londrina-PR ou Curitiba-PR. Isso sem contar a quantidade de idosos – grupo de risco do coronavírus, que representa boa parte da população itapoaense”, explica Cláudio, que reforça a máxima que “quarentena não é férias”.

Sobre os meses seguintes, muitas dúvidas e incertezas, mas uma coisa Ana Paula e Cláudio tem certeza: seja nas relações com as pessoas, no espírito de coletividade, nos âmbitos profissionais… muita coisa vai se reestruturar após o coronavírus. Vivendo um dia de cada vez, a técnica de  enfermagem cumpre com orgulho a missão de zelar pelos demais. Já a Ana Paula, na vida pessoal, faz deste período uma reflexão: “tenho sentido saudade de coisas pequenas, que nunca imaginei que me fariam tanta falta, como ir tomar um café com meus amigos, poder abraçá-los e jogar conversa fora”.

 

 

 

Compre em Itapoá: em meio à crise do coronavírus, apoiar o empreendedor local é um bom negócio para todos

O coronavírus vem mudando nossa rotina e afetando diretamente o comércio. Alguns hábitos precisaram ser mudados mediante essa crise e a forma como consumimos, também. Pensando nisso, os veículos de imprensa Jornal Em Foco, Folha de Itapoá, Itapoá Notícias e Revista Giropop unem forças em uma campanha que visa apoiar e valorizar o empreendedor local.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

Compre do pequeno, compre local. Mais do que apelos para estimular empreendedores locais, ações nesse sentido são hoje imprecindíveis para a sobrevivência de uma grande parcela da população brasileira e também para a economia do país, fortemente abalada pela crise do coronavírus.

Respeitar o distanciamento social e a quarentena recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) é imprescindível para a saúde e o bem-estar coletivo. Em contrapartida, a decisão afeta diretamente milhares de trabalhadores. Por isso, durante este período, é importante continuar apoiando o comércio local tanto para sua sobrevivência quanto para o desenvolvimento socioeconômico do país. Somente com a ajuda de todos os consumidores é que a economia sobreviverá a esta pandemia. Isso porque os pequenos negócios – responsáveis por mais da metade do emprego formal no país e por quase um terço de toda a nossa riqueza – precisam de você para continuar existindo.

Em Itapoá, o quadro não é diferente, e os munícipes precisam cada vez mais criar uma verdadeira rede de apoio ao comércio local, para que os empreendedores autônomos, negócios locais e de pequeno porte possam se fortalecer durante esta temporada de emergência e isolamento.

Vamos continuar a comprar no comércio local, estimulando a economia da região e, juntos, enfrentar a crise do coronavírus?

 

Importância de apoiar o comércio local

Os negócios locais são o combustível de toda a economia, e promover esse tipo de consumo gera ganhos para toda a região, pois ajuda a estabelecer um comércio mais justo, desde o pequeno agricultor até o restaurante da esquina, criando mais empregos e melhor distribuição de renda. Confira abaixo mais algumas vantagens de estimular a compra do pequeno negócio:

  • Promove-se o desenvolvimento social, já que o consumidor ajuda no fortalecimento dos pequenos negócios e, consequentemente, há estímulo para a empresa inovar, melhorar seu desempenho e aperfeiçoar o atendimento;
  • Comprar do pequeno negócio faz o dinheiro circular pelo seu bairro, o que propicia mais desenvolvimento local;
  • O consumo local afeta até o trânsito, já que produz menos deslocamentos pela cidade, além de contribuir para o meio ambiente, com a redução da emissão dos gases poluentes de carros e ônibus;
  • Opte sempre pelo mercadinho da esquina ou pela farmácia mais próxima de casa, pois, além de uma opção prática, segue a recomendação de evitar ir às ruas;
  • Comprar dos pequenos negócios ajuda a estimular a economia local e a manutenção de empregos. Assim, superaremos juntos este momento e contribuiremos para uma Itapoá mais forte e unida.

Faça parte do movimento

É momento de acolhimento, união e empatia. Com a sua força, o apoio da comunidade, do poder público e a criatividade, é possível evitar o fechamento de negócios. O dinheiro investido aqui gira a nossa economia e volta para você em forma de uma Itapoá ainda melhor.

Portanto, abrace essa ideia, confira as dicas que separamos para consumidores e empreendedores e, se puder, fique em casa.

 

Se você é consumidor itapoaense…

 ·  Se possível, dê prioridade aos pequenos comércios do seu bairro;

·   Se contratou algum serviço e não pode usufruir na data desejada, não cancele, adie. Fique com esse ‘crédito’ para utilizar assim que tudo isso passar;

·   Utilize os serviços de delivery dos estabelecimentos que gosta. Em Itapoá, até as lojas de roupas e sorveterias já estão adotando o delivery;

·  Divulgue em suas redes sociais os produtos e serviços dos pequenos empreendedores e negócios locais.

 

Se você é empreendedor itapoaense…

 ·  Planeje com os funcionários formas alternativas de venda;

·   Se aproxime dos seus clientes e comunique a eles soluções que está buscando para manter seu negócio ativo;

·   Pense novas formas de entregar seu produto;

·   Mobilize sua equipe ou contrate um motoboy/freelancer para fazer entregas;

·   Reforce a divulgação digital;

·   Crie metas e planeje suas ações “pós-crise”;

·  Observe e pesquise o que outros empreendedores estão fazendo.