Rede Feminina de Combate ao Câncer chega a Itapoá

Presente em 63 municípios do estado de Santa Catarina, a Rede Feminina de Combate ao Câncer tem como intuito proteger a mulher, prevenir o câncer de colo de útero e de mama. Recentemente, a Rede chegou ao município de Itapoá (SC), e promete realizar ações, encontros e palestras de conscientização para grupos de mulheres e para toda a população itapoaense.

IMG_20200212_164747786

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

A Rede Feminina de Combate ao Câncer chegou ao município de Itapoá por intermédio de Solismar Antônio Potulski, proprietário da loja Manu Beauty, de Itapoá. Certa vez, em sua loja, Solismar recebeu a visita de uma cliente diagnosticada com câncer de mama que, em conversa, comentou das dificuldades e da falta de apoio para o tratamento no município. “Como eu havia morado em Joinville (SC) e São Francisco do Sul (SC), já conhecia o trabalho da Rede Feminina de Combate ao Câncer, que atuava nestas cidades. Sempre tive carinho e respeito pelo trabalho que a Rede realiza, pois vai além da orientação das doenças, incentiva os exames preventivos e orienta toda a comunidade”, conta Solismar, que pensou consigo: ‘por que não fundar uma Rede Feminina em Itapoá?’.
Em contato com a presidente do estado de Santa Catarina, Sônia Rieg Fischer, Solismar, junto de um grupo de mulheres que vivem em Itapoá, buscou informação, orientação e apoio para fundar a Rede na cidade. Sendo assim, em agosto de 2019, a diretoria foi apresentada aos munícipes e a Rede Feminina de Combate ao Câncer foi, finalmente, implantada em Itapoá.

 

A Rede
A Rede Feminina de Combate ao Câncer de Santa Catarina, foi criada em 6 de maio de 1961, na capital catarinense, Florianópolis (SC). Inicialmente, as voluntárias atendiam as mulheres acometidas de câncer nos hospitais. Após 12 anos de existência na capital, foi criada a primeira Rede no interior do estado, na cidade de Blumenau (SC).
Com a demanda apresentada, outras Redes foram sendo criadas, sempre fiéis ao propósito de proteger a mulher, orientando-a no sentido de prevenir o câncer. O alerta à prevenção do câncer de colo de útero e de mama é feito através de palestras, ações, projetos e eventos de conscientização para grupos de mulheres e população em geral.
No estado de Santa Catarina, atualmente, 63 municípios contam com as Redes Femininas. As mulheres são atendidas por voluntárias, atuando principalmente na prevenção do câncer de mama, com encaminhamento para mamografia e colo uterino com coleta do exame preventivo (Papanicolau). Proporcionam às usuárias terapias complementares ao tratamento e qualidade de vida, principalmente às mulheres mastectomizadas, e realizam palestras e ações educativas de conscientização, quanto à importância da prevenção e o diagnóstico precoce do câncer.

IMG_20200212_155926650

IMG_20200212_155936663

A missão
Natural de Tramandaí (RS), Ameris Hablich é cabeleireira aposentada e mudou-se para Itapoá em 2017, por influência de sua irmã, que tem casa no município há vinte anos. “Quando conheci Itapoá, me apaixonei e mentalizei ‘um dia ainda vou morar aqui’, e anos depois isso aconteceu”, conta.
Ainda no Rio Grande de Sul, ficou viúva, entrou em depressão e acabou conhecendo a pintura. “Comecei a pintar aos 50 anos de idade, para preencher o vazio, e descobri um grande talento e uma grande paixão”, fala. Tempos depois, entrou para o Clube de Mães, onde atuava como voluntariada, ministrando aulas de pintura e ajudando outras mulheres a encontrar na arte a cura para atravessar momentos difíceis.
Em Itapoá, Ameris fez amizade com Solismar e foi convidada a compor a diretoria da Rede Feminina. “Já que me encontrava aposentada, tinha tempo hábil e gostava de voluntariado, Solismar sugeriu que eu fosse presidente da Rede de Itapoá. Agradeci o convite, mas acabei o recusando, pois não queria ter uma responsabilidade àquela altura”, recorda.
Certa vez, Ameris teve de acompanhar Solismar em uma convenção da Rede Feminina de Combate ao Câncer em Florianópolis. O evento, que reuniu cerca de 300 mulheres de todo o estado, contou com palestrantes estudiosas da área e relatos inspiradores. Ameris lembra: “Me senti tocada neste evento. Lembro-me que voltei para casa maravilhada com o trabalho da Rede e a importância de cada uma daquelas voluntárias na vida das mulheres diagnosticadas com câncer”.
Pensando na possibilidade de ajudar e mudar a vida de pessoas, Ameris aceitou, então, o convite e, através de votação, foi eleita presidente da Rede Feminina de Itapoá, assumindo a função em fevereiro de 2020.
“Quando cheguei a Itapoá, já aposentada, pensei que fosse sossegar e desapegar de qualquer trabalho remunerado ou voluntário. Hoje, vejo que os caminhos não me trouxeram aqui por acaso. Assumo a Rede Feminina de Combate ao Câncer como uma missão e um propósito que tenho com o município”, afirma a voluntária, que planeja promover o tema pela cidade organizando encontros, palestras, atendimentos e atuando em parceria com As Amorosas de Itapoá – grupo de voluntárias que confecciona almofadas em formato de coração, que ajudam a minimizar as dores e oferecem apoio no tratamento contra o câncer.

IMG_20200212_155421524

Homens também podem abraçar a causa
Nas palavras de Solismar, “você não precisa ter câncer de mama ou no colo do útero ou ter algum diagnosticado na família para lutar por esta causa, pois quando amamos verdadeiramente o próximo devemos estar sempre à disposição para fazer o bem”.
Segundo Ameris, por ser homem e idealizador da Rede em Itapoá, Solismar é muito respeitado pela diretoria do estado de Santa Catarina. Graças ao seu ativismo e sua iniciativa, a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Itapoá tornou-se a primeira do estado a ter homens no conselho fiscal e voluntariado.
“Acredito ser muito importante a presença de homens neste projeto. Primeiro, porque o câncer não é exclusividade da mulher e, segundo, porque é imprescindível que, nós, homens, possamos esclarecer nossas dúvidas, para servirmos de apoio em nossos lares, nossas famílias ou até mesmo na comunidade”, explica Solismar.

IMG_20200212_160033939

Faça parte
Ao público itapoaense, Ameris explica que a Rede de Itapoá é como todas as outras já espalhadas pelo estado: uma instituição regulamentada sem fins lucrativos, que atua com credibilidade, transparência e como uma rede de apoio a mulheres, onde sintam-se amadas, acolhidas, informadas, tratadas e protegidas. Para um atendimento de qualidade, a Rede de Itapoá está em busca de uma sede própria – assim como tem a grande maioria das Redes do estado – para contar com o atendimento de enfermeiras, médicos, terapeutas, palestrantes, etc.
Atualmente, a Rede conta com dez pessoas voluntárias, que vêm estruturando os projetos e as atividades desempenhadas no decorrer do ano. “Procuramos pessoas que queiram apoiar a causa do câncer de mama e no útero, seja através de: divulgação; doações de perucas, próteses ou turbantes; da participação de bazares e brechós que serão realizados para arrecadar fundos; de profissionais artesãos que queiram ministrar aulas voluntárias de pintura, crochê e outras artes, como geração de renda para pacientes diagnosticadas; além de profissionais como ginecologista, psicóloga, enfermeira, advogada, nutricionista e fisioterapeuta, que possam prestar atendimento ou palestras educativas e informativas”, explica a presidente.
Para tornar-se voluntário (a) na Rede Feminina de Combate ao Câncer de Itapoá, basta entrar em contato com Ameris através do número (51) 99942-0735 e, posteriormente, preencher uma ficha de cadastro. Mas vale ressaltar: a pessoa voluntária terá de passar por um tempo de experiência e assumir algumas responsabilidades com a Rede.
Segundo Ameris Hablich, é gratificante poder fazer algo pela cidade, pelos pacientes e suas respectivas famílias, “porque muitas vezes as famílias sofrem tanto quanto ou até mais que a própria diagnosticada”, lembra. Agora, com a chegada da Rede Feminina de Combate ao Câncer em Itapoá, muitas mulheres serão acolhidas, abraçadas e confortadas, e muitas histórias serão ouvidas, contadas e servirão de inspiração.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Projeto Urbanístico Riviera Santa Maria começa a sair do papel em Itapoá

Após nove anos de espera, uma das propostas de projeto urbanístico mais modernas planejada para o município de Itapoá, que valoriza a relação entre pessoas e o meio ambiente, começa a sair do papel. No último dia 27 de fevereiro, o Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Santa Catarina concedeu duas licenças importantes à IGG Administração e Comercialização de Bens Móveis e Imóveis Ltda. (ACBMIL), empresa proprietária da área onde será implantado o Projeto Riviera Santa Maria.

rsm vista itapoá-1

São elas a Licença Ambiental de Implantação (LAI) e a Autorização de Corte (AuC), as quais dão a largada para o desengavetamento do projeto. Conforme a IGG ACBMIL, ainda restam decisões importantes para serem tomadas a fim de permitir o início das obras, como o registro do loteamento. Somente após isso é que os trabalhos no local de fato começarão.

licenca1

 

licenca2

Desenvolvido pelo renomado urbanista Jaime Lerner, o Riviera Santa Maria tem o propósito de gerar uma nova identidade para o município de Itapoá, proporcionando a integração de moradia, praia, esporte, natureza e cultura em um espaço democrático, ecologicamente adequado e com qualidade urbana. Além das moradias, haverá espaços para creches, postos de saúde, escolas, dois lagos e áreas verdes.

Um dos pontos altos do projeto é a parte frontal do empreendimento, denominada por Jaime Lerner de Praia de Bambu. Neste espaço de uso público, serão alocadas lojas, restaurantes e áreas de descanso e lazer. Está prevista também a construção de uma alameda para pedestres que permitirá a conexão entre os estabelecimentos. Além disso, as construções e o passeio terão cobertura de bambu, em formatos diversos, dando uma característica muito peculiar ao empreendimento.

Durante todo o processo de análise do projeto, parceiros importantes da IGG ACBMIL contribuíram para a aprovação do projeto, entre eles, o escritório Jaime Lerner Arquitetos Associados (JLAA), responsável pelo Masterplan; Acquaplan Tecnologia e Consultoria Ambiental, encarregada pela redação do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA); Vector GEO 4D, responsável pelos projetos básicos de infraestrutura; IOCH Engenharia Simultânea, que fez o projeto elétrico; SC Engenharia de Meio Ambiente, encarregada pelos estudos geológicos; e Brümmer Advocacia, que ofereceu aconselhamento jurídico.

O trabalho do grupo desenvolvedor, composto pelas empresas: PHD Administração e Comercialização de Bens Móveis e Imóveis Ltda., Rio Negro Consultores Associados S/C Ltda, A2V Participações e Consultoria Ltda e Efing & Rocha Advogados Associados foram decisivos para a obtenção das licenças. Com a obtenção das licenças e a necessária segurança jurídica será constituída a empresa IGG Sociedade Anônima composta pelos membros da IGG ACBMIL e o grupo desenvolvedor, o qual será responsável pela implantação do projeto Riviera Santa Maria.

O empreendimento Riviera Santa Maria também conta com o apoio da Secretaria de Municipal de Planejamento da Prefeitura de Itapoá e da Câmara de Vereadores, que consideram o projeto inclusivo, inovador, transformador e ambientalmente responsável.

1º Blessing de Itapoá encerra a temporada de verão

Os moradores e visitantes do município de Itapoá, no Litoral Norte do Estado, terão a oportunidade de curtir a primeira edição do Blessing Itapoá, no próximo sábado (dia 29), no encerramento da temporada de Verão 2019/2020, que reunirá, no mesmo palco, os cantores Fernandinho e Isadora Pompeo e a banda Rosa de Saron a partir das 19h, na Avenida Beira Mar 3. Todos os shows são gratuitos.

O Blessing Itapoá é uma forma de agradecimento da Prefeitura Municipal pelas conquistas alcançadas durante a temporada, que foi considerada extremamente exitosa e contou com a realização de eventos marcantes como a terceira edição do Programa Um Toque de Natal, o projeto Itapoá Mais Verão, a Festa de Réveillon e o Carnaval Cultural de Itapoá.
AS ATRAÇÕES MUSICAIS

Fernandinho

fernando

Com mais de 20 anos de carreira, o sergipano Fernando Jerônimo dos Santos Júnior, mais conhecido como Fernandinho, é uma das atrações do Blessing. Ele tem vários álbuns gravados e músicas de sucessos, como Uma Nova História, canção lançada há mais de uma década e ainda hoje figura entre as mais tocadas do artista.

Isadora Pompeo

isadora-pompeo

Outra atração confirmada no evento é a cantora gaúcha Isadora Pompeo, fenômeno da internet com mais de 2,86 milhões de inscritos no Youtube. Alguns dos clipes lançados pela artista repercutem em grande escala e totalizam mais de 10 milhões de visualizações, como é o caso da canção Como Nunca Antes, lançada em 2018. Isadora também está presente nas redes sociais e ganhou milhares de seguidores desde que decidiu se dedicar às músicas cristãs.

Rosa de Saron

bandarosadesaron-1

Para completar o show de encerramento da temporada de verão, a banda paulista Rosa de Saron, precursora do white metal católico no Brasil na década de 1980, se juntará aos cantores Fernandinho e Isadora Pompeo no palco da Avenida Beira Mar III. A banda surgiu em 1988, no movimento de renovação carismática católica, em Campinas (SP), e atualmente é formada por Bruno Faglioni (vocal), Eduardo Faro (guitarra), Rogério Feltrin (baixo) e Wellington Greve (bateria).

Orsegups realiza entrega de alimentos à Mãos do Bem

Na última terça (18), a Orsegups realizou a entrega de 20 Kg de alimentos à associação Mãos do Bem, entidade localizada em Itapoá.
A ação foi uma iniciativa conjunta dos times comercial e de operações da empresa, que, em palestra na região, angariaram doações para a associação.
A Mãos do Bem é um grupo de amigos que, desde 2011, ajuda e auxilia famílias em estado de vulnerabilidade social por meio da doação de cestas básicas, fraldas e roupas.
Atualmente, a associação – sem fins lucrativos – apoia 20 famílias carentes e, aproximadamente, 70 crianças em fase de formação, todos em Itapoá, SC.
A Orsegups acredita que ações como essa contribuem, e são fundamentais, para o fomento de uma sociedade mais justa e um País menos desigual.

Quer saber mais sobre as ações da empresa em nossa região? Acesse a página do facebook Orsegups Litoral Norte.

 

87161567_3454269821311308_5996277169922244608_o
Dany Roger Perrony, supervisor administrativo da Orsegups e a Srª Magda, representante da Mãos do Bem.

 

 

Porto Itapoá já é o maior porto de Santa Catarina e o terceiro maior do Brasil em movimentação de contêineres

DCIM102MEDIADJI_0122.JPG
DCIM102MEDIADJI_0122.JPG

Resultados publicados pela ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Fonte: http://web.antaq.gov.br/Anuario/), traz o Porto Itapoá na primeira posição entre os portos movimentadores de contêineres do Estado de Santa Catarina. No Brasil, o Terminal ocupa a terceira posição.

Segundo os dados da ANTAQ, o incremento em Itapoá foi o maior entre os seis maiores portos brasileiros, de 15,92%, com 735 mil TEUS movimentados em 2019 – dados preliminares divulgados pelo porto em janeiro apontavam crescimento de 14%.

Desde o segundo semestre do ano passado, o Terminal apresentava uma retomada no crescimento do volume, especialmente com cargas de importações e transbordo. Em outubro já figurava na terceira posição e nos meses subsequentes manteve o resultado.

Em 8 anos de operação o Porto Itapoá desenvolveu uma estratégia de diferenciação frente aos demais portos brasileiros, explorando as condições favoráveis da Baía da Babitonga na operação de grandes navios, somadas a um engajamento de suas equipes na busca incessante pela excelência operacional.

Outro fator sempre foi o cuidado constante com o atendimento personalizado ao Cliente, visando sua satisfação através da agilidade e resolutividade das demandas trazidas por eles. Inclusive, este fator levou o Porto Itapoá a ser reconhecido pelo terceiro ano consecutivo como “Destaque Setorial em Atendimento ao Cliente”, através de pesquisa realizada pelo IBRC – Instituto Ibero-Brasileiro de Relacionamento com o Cliente.

O Presidente do Porto Itapoá, Cássio Schreiner, enfatiza que os números de 2019 precisam ser comemorados como o resultado do trabalho intenso e profissional desenvolvido em Itapoá. “O Porto Itapoá nasceu do zero. Em um município que nos abraçou desde o princípio de nossas atividades mas, que nunca havia experimentado a vocação portuária. Foi necessário investir em infraestrutura, formar pessoas, estabelecer cultura logística e empreendedora. Com todos esses desafios, é extremamente gratificante ver esse resultado e saber que todo o esforço empenhado levou o Porto Itapoá a ser o maior porto de Santa Catarina na movimentação de contêineres, e terceiro maior do Brasil, em apenas oito anos.”

DCIM102MEDIADJI_0128.JPG

Complexo Portuário da Baía da Babitonga representa quase 60% das cargas movimentadas em Santa Catarina em tonelagem bruta

 Outro dado interessante revelado pela publicação da ANTAQ foi o volume movimentado pelos portos em tonelagem, incluindo aqui todas as cargas que passam pelos terminais portuários, como grãos, combustíveis, minério, ferro, fertilizantes, veículos, contêineres e carga geral. Em Santa Catarina, o Complexo Portuário da Baía da Babitonga, que incluem os terminais portuários de Itapoá e São Francisco do Sul, representaram 59,3% de toda a carga movimentada pelos portos no Estado. Ao todo Santa Catarina movimentou quase 47 milhões de toneladas. Desse montante os portos da Babitonga movimentaram quase 28 milhões de toneladas.

Está nas mãos, nas telas e nos celulares. Revista mensal, com conteúdo próprio e distribuição gratuita