Melhorias no sistema de abastecimento de Itapoá aprimoram regularidade no fornecimento de água

Reservatório de Pontal

Para melhorar a regularidade no fornecimento de água para veranistas e moradores durante a temporada de verão 2019-2020, período em que a população circulante na cidade aumenta significativamente, a Itapoá Saneamento modernizou e ampliou o sistema de abastecimento do município. Ao todo, foram investidos aproximadamente R$ 15 milhões em melhorias operacionais que incluem ampliação dos sistemas de captação, produção, distribuição e reservação.A implantação de 1,1 km novas redes adutoras para incrementar a captação de água no manancial e a ampliação da capacidade de produção na Estação de Tratamento de Água (ETA) Maria Catarina, com a instalação de novos módulos de tratamento, elevarão o volume de água tratada de 350 litros por segundo para 470 litros por segundo, um aumento de 35%.Para armazenar a água produzida, estão em fase de conclusão a construção de dois reservatórios na cidade: um localizado na região de Pontal, com capacidade de 1.000 m3, e outro na ETA Maria Catarina, com volume de 2.000 m3. Também está em fase de conclusão a reforma do reservatório elevado, situado na região de Itapema do Norte, com capacidade de 500 m³. Além disso, foram feitas adequações e interligações em pontos estratégicos da rede de abastecimento que incluem a instalação de três novos pressurizadores para regularizar o fornecimento para determinadas regiões que antes enfrentavam intermitências no período da alta temporada, além de cerca de 9,2 Km de reforço de rede.De acordo com Julie Campbell, gerente operacional da Itapoá Saneamento, tais medidas aperfeiçoaram sensivelmente o sistema de abastecimento de água da cidade. “A partir da segunda quinzena de dezembro, o cliente, morador ou turista, que passar por Itapoá já vai perceber a diferença na pressão e na regularidade do fornecimento’’, comemora.“Os esforços da companhia em aprimorar o sistema de abastecimento de água e em implementar melhorias constantes na prestação de serviços de saneamento demonstram nosso compromisso com cidade e nosso respeito com os clientes. Nosso trabalho, além de melhorar a saúde e a qualidade de vida das pessoas, contribui com o desenvolvimento da cidade, a valorização imobiliária e estimula o comércio local”, destaca.Facilidade no atendimento – Para oferecer mais comodidade aos clientes que precisam solicitar serviços nesse período de alta demanda, a Itapoá Saneamento irá estender o horário de atendimento presencial. Nos meses de dezembro (a partir de 16/12) e janeiro (até 31/1), a loja, localizada à rua Lindóia, 328, Itapema do Norte, passa a funcionar de segunda a sábado das 8h às 18h, sem intervalo para o almoço. Nos dias 24 e 31 de dezembro, a loja funcionará das 8h ao meio dia. Aos domingos e feriados, o atendimento será oferecido somente pelo telefone 0800 643 2750, pelo WhatsApp (17) 99641-3259 ou chatbot do site, que funcionam 24 horas por dia, todos os dias da semana.Sobre a Itapoá Saneamento – Por meio de concessão plena com prazo de 30 anos, a Itapoá Saneamento assumiu os serviços de tratamento e distribuição de água e esgotamento sanitário no município de Itapoá em outubro de 2012. Controlada pela Iguá Saneamento – companhia que está presente em cinco estados brasileiros, através de 18 operações – e pela EBS, a Itapoá Saneamento atende a 18 mil pessoas. A concessionária tem como objetivo universalizar o acesso da população aos serviços de saneamento.Sobre a Iguá Sanemento: A Iguá é uma nova companhia de saneamento, controlada pela IG4 Capital, que atua no gerenciamento e na operação de sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário, por intermédio de concessões e de parcerias público-privadas. Atualmente, está presente em cinco estados brasileiros: Alagoas, Mato Grosso, Santa Catarina, São Paulo e Paraná, por meio de 18 operações, que somadas beneficiam cerca de 6,6 milhões de pessoas. O alcance dos serviços prestados pela companhia a coloca entre os principais operadores privados do setor de saneamento do país. Em 2018, foi eleita pelo segundo ano consecutivo uma ótima empresa para se trabalhar pela consultoria Grate Place to Work (GPTW). Atualmente, emprega cerca de 1,5 mil pessoas. O nome Iguá é uma referência direta ao universo em que atua: em tupi-guarani, “ig” que dizer água.

Como descobrir quanto vale o seu imóvel

Existem algumas maneiras de avaliar o preço do seu imóvel. Umas são mais apuradas e indicadas para quem deseja estipular um valor mais preciso ao colocar o imóvel à venda. Outras, mais superficiais, podem ser indicadas para quem apenas quer ter uma noção sobre o valor do seu patrimônio.
Para saber o que fazer para precificar seu imóvel, entrevistamos Jerry Luís Sperandio, cuja família atua no mercado imobiliário itapoaense desde 1993. Graduado em Tecnologia em Processamento de Dados e em Administração, Jerry é Corretor de Imóveis e sócio da Sperandio Imóveis & Arquitetura.

sperandio
Com anos de expertise, Jerry Luís Sperandio afirma que demanda e oferta têm enorme influência nos valores dos imóveis.

Revista Giropop: Em sua visão, quais fatores influenciam na avaliação de um imóvel?
Jerry Luís Sperandio: Em uma avaliação diversos aspectos devem ser considerados, tais como: localização, qualidade dos materiais utilizados na obra, estado de conservação, vizinhança (padrão das residências e opções de comércio e serviços existentes), etc. Porém, considero que o valor de um bem consiste no preço que alguém esteja disposto a pagar por ele. A avaliação é uma estimativa considerando as diversas variáveis, mas o real valor do imóvel será conhecido quando de fato a negociação for efetivada, ou seja, o imóvel vendido. Por esse motivo, a demanda e a oferta têm uma enorme influência nos valores dos imóveis.

Revista Giropop: Contextualizando para o município de Itapoá, há algum detalhe que influencie na avaliação de um imóvel situado nessa região?
Jerry Luís Sperandio: Sim. No caso de Itapoá, um detalhe importante é observar o relevo do terreno em relação ao nível da rua: como estamos em uma cidade plana e ao nível do mar, onde o escoamento das águas pluviais é mais complicado e também o lençol freático é bem superficial, uma edificação mais elevada minimizará eventuais riscos decorrentes de chuvas torrenciais e, principalmente, diminuirá a umidade ascendente, tornando o imóvel mais seguro e confortável. A localização também é fator primordial, uma vez que Itapoá é um município extremamente extenso, com diversas regiões – cada uma com suas peculiaridades. É evidente que as regiões que concentram maior número de comércios e moradores tendem a ser mais valorizadas e, é claro, que a distância em relação ao mar também deve ser sempre observada.

Revista Giropop: A avaliação pode divergir de acordo com quem estipula o preço? Há diferença se a avaliação é feita pela imobiliária, pelo banco ou pelo próprio proprietário?
Jerry Luís Sperandio: Via de regra, existem normas técnicas para elaboração de avaliações, porém, mesmo que dois avaliadores sigam criteriosamente estas normas, podem chegar em resultados diferentes em razão de particularidades de cada imóvel e de fatores subjetivos. Infelizmente, também existem os profissionais que, na ansiedade de angariar um imóvel para venda, majoram o valor do mesmo, vindo a prolongar a possibilidade de realização de negócio. Os proprietários sempre esperam uma avaliação superior e muitas vezes se frustram quando passamos nosso parecer, principalmente quando a situação econômica é desfavorável, onde a oferta é muito grande e a procura reduzida. Em relação aos bancos, vou citar o exemplo da Caixa Econômica Federal, que possui cerca de 70 profissionais cadastrados em nossa região e, por definição, devem seguir rigorosamente as normas de avaliação e procedimentos internos do banco. Contudo, é comum de haverem diferentes avaliações em imóveis iguais.

Revista Giropop: Qual a diferença entre o parecer técnico e o parecer verbal na avaliação de imóveis?
Jerry Luís Sperandio: Obrigatoriamente, a elaboração de um PTAM (abreviação de Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica) consiste em um maior detalhamento dos fatores que exercem influência para se estipular o valor de um imóvel e, geralmente, este documento é utilizado para fins de partilhas de bens, dações em pagamentos, etc. Já a avaliação verbal habitualmente é feita com base na visualização do imóvel pelo profissional, o qual, com sua experiência, pode exprimir um parecer mais subjetivo e rápido.

Revista Giropop: Pesquisar o valor de imóveis similares é uma boa estratégia para descobrir quanto vale o seu bem?
Jerry Luís Sperandio: Um erro comum é basear-se tão somente pelo valor anunciado de imóveis similares. Um imóvel que está sendo ofertado por determinado valor não representa, necessariamente, que será comercializado por esse valor. Evidentemente que a oferta de imóveis similares pode contribuir na estimativa de preço, porém deve-se levar em consideração principalmente as transações efetivamente realizadas, até porque os valores ofertados podem representar o desejo do proprietário e não representar a realidade de mercado no momento.

Revista Giropop: E qual a sua opinião sobre sites e aplicativos como “Quanto Vale Meu Apê” e “123i”, que ajudam a estipular valores?
Jerry Luís Sperandio: São aplicativos interessantes, porém, acredito que ainda não decolaram em razão da base de dados estar limitada a grandes centros. Devido às inúmeras particularidades de cada imóvel e de cada região, acredito que uma avaliação digital mais fidedigna somente será alcançada quando houver uma maior base de dados.

Revista Giropop: A avaliação difere entre imóveis com benfeitorias (construção), situados em regiões com muitos ou poucos terrenos disponíveis?
Jerry Luís Sperandio: Se tratar-se de um imóvel com benfeitorias é sempre importante se informar quanto um empreiteiro cobraria para edificar uma obra nova. Somando-se esse valor ao custo médio do terreno nas imediações alcança-se o valor para começar uma casa desde o início. Se for em uma região onde há muitos terrenos disponíveis e o imóvel já for um pouco antigo, tem-se que considerar que para o adquirente se tornará preferível adquirir um terreno e edificar a casa da maneira que desejar, a não ser que o imóvel usado tenha uma vantagem competitiva, ou seja, o preço. Essa comparação não se aplica onde há escassez de terrenos disponíveis, onde o valor do terreno pode chegar a representar muito mais do que o valor da construção.

Revista Giropop: Neste processo em busca da avaliação, qual a importância de consultar um Corretor de Imóveis?
Jerry Luís Sperandio: O Corretor de Imóveis é o profissional mais capacitado para emitir pareceres sobre valores de imóveis, não só pela formação, mas principalmente pela experiência na atividade. É natural, portanto, que os Corretores que atuam há mais tempo tenham uma bagagem maior, mas um profissional dedicado e comprometido com menos tempo no mercado também pode se tornar um avaliador capacitado. O importante é ter convicção de seus métodos sem deixar-se influenciar por fatores alheios que possam prejudicar no resultado, tal como a “vontade” do proprietário em alcançar um valor maior pelo bem.

Revista Giropop: Por fim, o que você diria àqueles que enfrentam dificuldade para avaliar o seu imóvel?
Jerry Luís Sperandio: Em busca de obter o valor de seu bem, procure profissionais capacitados e dedicados, desconfiando daqueles que estipulam valores sem mesmo visitarem o imóvel. Em nosso escritório, por exemplo, temos como regra não sugerir valores sem antes irmos até o imóvel e sempre que possível reunimos os Corretores para, juntos, elaborarmos as avaliações, considerando a opinião e experiência de cada um.

As redes sociais do século 21, para onde caminhamos?

O compartilhamento de notícias falsas, as famosas fakenews; a difamação e a injúria, comprometem o futuro dessas estruturas tão importante na vida de uma sociedade em franco progresso.

Prof. Jonas Maciel da Silva –
DRT 0010332/PR

Mundo conectado, pessoas conectadas, liberdade de expressão que nos torna cada vez mais próximos dos acontecimentos, de uma realidade globalizada e sem volta. Conectividade é a nova ordem. A socialização do século XXI passa obrigatoriamente pelas redes sociais (facebook, youtube, twitter, whatsapp, skype, linkedin, etc.), é como se fosse uma forma de identidade onde somos reconhecidos.
Essas ferramentas de comunicação são extremamente positivas quando bem utilizadas, infinitos recursos que não só aproximam pessoas e conectam o mundo, mas principalmente, permitem expor opiniões sobre fatos e acontecimentos, um terreno fértil e democrático para a disseminação de ideias edificantes e do debate construtivo.
Contudo, infelizmente não são poucos os excessos onde os desavisados não medem palavras e sequer as consequências, quando despejam ódio e regurgitam suas frustrações maculando reputações, como se todos fossem obrigados a pensar ou agir igualmente. O compartilhamento de notícias falsas, as famosas fakenews; a difamação e a injúria, comprometem o futuro dessas estruturas tão importante na vida de uma sociedade em franco progresso, estruturas com a finalidade de promover valores, informações, conhecimento e compartilhar objetivos comuns para a construção de um mundo melhor.
Cada vez mais se torna difícil reconhecer o que é falso e o que é verdadeiro. E o que fazer para mudar esse quadro? Bom senso, nunca é demais quando se pondera no momento de se publicar ou compartilhar informação, afinal a internet não é um ambiente social? Aquilo que não se fala em público, via de regra, não deveria ser publicado, não é mesmo? O momento requer construtividade onde o tempo dos “sem noção” já não cabe mais. Liberdade sempre, mas com responsabilidade, onde palavras e opiniões devem ser pautadas em princípios que contribuam para o progresso de uma sociedade.

A história “de amor” do Restaurante Bom Sucesso

De melhores amigos, Analú Melcheretto e Jairo Ernani de Araújo passaram a ser um casal. Eles são proprietários do Restaurante Bom Sucesso, no município de Itapoá (SC). Companheiros de vida, de trabalho e de família, a história de amor desse casal é, também, a história do Restaurante Bom Sucesso.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

bomsucesso1
Frente ao Restaurante Bom Sucesso, em Itapoá, o casal Analú Melchioretto
e Jairo Ernani de Araújo, acompanhados da filha Natália Araújo.

A história de amor de Analú e Jairo é daquelas que daria um bom enredo para um filme ou uma novela. Eles se conheceram na escola, na cidade de Guaratuba (PR) e, quando estudavam na 7ª série, viveram um romance. “Era um namorico de escola, mas durou sete meses, foi ali que tudo começou”, recordam.
Os pais de Analú e Jairo eram amigos, as famílias moravam próximas e, com o passar dos anos, eles se tornaram grandes amigos. Eram parceiros, tinham uma turma grande de amigos e trocavam confidências – mas tudo não passava de amizade.
Quando Jairo casou-se, convidou Analú para ser uma de suas madrinhas de casamento, que prontamente aceitou o convite, tamanho era o apreço que sentiam um pelo outro. “Assisti ao seu casamento e torcia muito pela sua felicidade, assim como torcemos por qualquer amigo”, ela conta.
O tempo passou e as responsabilidades da vida adulta fizeram com que Analú e Jairo se distanciassem. Até que, certa vez, ele e sua então esposa se divorciaram. Nesse período, Analú costumava sair com a mesma turma de amigos e, certa vez, convidaram Jairo para juntar-se a eles.
A reaproximação entre os amigos aconteceu e eles saíram muitas vezes juntos acompanhado dos amigos. Certo dia, em um pagode, para a surpresa dos dois e de todos os seus amigos, aconteceu o inesperado: Analú e Jairo se beijaram. Ela recorda: “Lembro-me que fiquei apavorada e fui correndo contar tudo para minha irmã (Janete Melchioretto Silva, da Beira Rio Esquadrias). Estava confusa por sentir aquilo, afinal de contas, éramos grandes amigos e eu havia sido sua madrinha de casamento”.
Felizmente, a ex-mulher de Jairo fora bem-resolvida com a situação e tudo fluiu perfeitamente. Em pouquíssimo tempo, Jairo e Analú passaram a namorar e, em 1997, foram morar junto. “Nosso sentimento, até o dia em que nos beijamos, era somente de amizade. Mas, hoje, pensando melhor, talvez tivéssemos um amor adormecido, lá dentro do peito, desde a infância”, comentam.

bomsucesso2

Bom Sucesso
Analú e Jairo passaram bons anos da vida a dois curtindo e aproveitando os bons momentos. “Nossos pais sempre foram muito festeiros e pegamos isso deles. Gostamos muito de festas e tivemos bons momentos juntos”, recordam. Foram oito anos de curtição, até que nasceu a filha do casal, Natália Araújo (hoje, aos 13 anos de idade), e os momentos de curtição a dois se transformaram em curtição em família.
Na época, ela trabalhava como funcionária pública e ele como bancário, mas se encontravam insatisfeitos no trabalho. “Conhecíamos Itapoá, pois já tínhamos familiares que aqui residiam há muito tempo. Sempre tivemos o sonho de ter nosso próprio negócio, e, com a chegada do Porto Itapoá, decidimos que este seria o lugar ideal para abrir um comércio e para prosperar junto à cidade”, falam.
Em busca de novos horizontes, o casal optou por abrir um restaurante no município de Itapoá. O nome escolhido pelos guaratubanos foi para homenagear a padroeira de Guaratuba, Padroeira Nossa Sra. do Bom Sucesso. No ano de 2013, Analú e Jairo – acompanhados da filha Natália, se mudaram para Itapoá, onde abriram o Restaurante Bom Sucesso.
Há cinco anos eles batalham diariamente para que o restaurante seja reconhecido no município pela deliciosa comida caseira, à la carte e pelo atendimento receptivo que dedicam com muito amor aos clientes amigos.
Especialmente há nove meses o restaurante mudou de endereço – agora, situado na Avenida Celso Ramos. “Para nós, esse tem sido um recomeço. Não é fácil, mas é gratificante a luta diária para nos mantermos firme”, comentam Analú e Jairo.
Com muita fé e dedicação, o casal vence cada uma das batalhas e provações que lhes são impostas. A receita da deliciosa comidinha caseira do Restaurante Bom Sucesso é segredo, mas a receita de empreender em casal eles contam: paciência, companheirismo e equilíbrio.

 

Vida, amor e trabalho a dois

No município de Itapoá, o casal Adriana da Silva (41) e Eliseu Teles da Silva (51) compartilha afinidades, o relacionamento e o trabalho, na Teles Auto Peças. Para os eternos apaixonados, o amor está nos pequenos gestos do cotidiano.

Ana Beatriz Machado Pereira da Costa

WhatsApp Image 2019-06-10 at 2.22.59 AM
O casal Eliseu Teles da Silva e Adriana da Silva, da Teles Auto Peças, em Itapoá.

Nascida na cidade de Joinville (SC), Adriana deixou São Francisco do Sul (SC) e passou a viver no município de Itapoá no ano de 1990, na companhia da família. Já Eliseu, nasceu em Santo Amaro (SP), e veio de Curitiba (PR) para Itapoá em 2004, com o propósito de empreender no município litorâneo – haja vista já estar no ramo automotivo em Curitiba.
Em 2001, ela, que trabalhava como servidora pública, e ele, que era empresário, se conheceram em Itapoá. “Somos muito parecidos e nos apaixonamos imediatamente”, recordam. Na época, Adriana vivia em Itapoá, enquanto Eliseu vivia em Curitiba.
A impossibilidade de conviverem na mesma cidade fez com que os encontros ocorressem somente aos finais de semana – e assim aconteceu durante quase três anos. Já em 2004, Eliseu, pai de dois filhos do primeiro casamento, encontrou a oportunidade perfeita para mudar-se para Itapoá, onde estabeleceu sua residência e empresa Teles Auto Peças.
No ano de 2006, Adriana e Eliseu passaram a viver juntos e, ali, iniciou-se uma vida a dois. “Nós tínhamos uma vontade em comum: ser feliz. Encontramos o carisma e a felicidade um no outro, e isso foi o que nos uniu”, comentam. Em 2012, Adriana concluiu seu curso de Ensino Superior e, desde então, dedica-se ao financeiro da Teles Auto Peças, enquanto as funções do amado são basicamente compras e atendimento ao cliente.

WhatsApp Image 2019-06-10 at 2.22.58 AM (1)
Para eles, o segredo de trabalhar a dois está na cumplicidade.

Conforme Adriana e Eliseu, o empreendedorismo em casal não é uma tarefa fácil: “Temos de abdicar de muitas coisas juntos, porém, a grande vantagem é que estamos 24 horas um ao lado do outro e podemos, assim, ganhar coragem e superação para enfrentarmos todos os desafios”. Em suas palavras, a cumplicidade é principal chave dessa relação de quase vinte anos.
Juntos, gostam de se divertir em viagens, praticar atividades físicas, como pedaladas e caminhadas rotineiras na praia. Ainda, o casal gosta de curtir o tempo livre com seus dois pets, pelos quais são apaixonados.
Atualmente, o maior desejo de Adriana e Eliseu, após quinze anos de atuação da Teles Auto Peças, é permanecer caminhando juntos, na mesma parceria, com muita dedicação e muitos sonhos:

“Nós sonhamos muito, temos o dever disso, e sonhar junto é melhor ainda. O sonho é o que nos impulsiona para a realização”, dizem.

Autodeclarados como “eternos apaixonados”, Adriana e Eliseu acreditam que a paixão está nos pequenos gestos do cotidiano e na capacidade de se reconhecer no outro.

Está nas mãos, nas telas e nos celulares. Revista mensal, com conteúdo próprio e distribuição gratuita